Seja bem-vindo ao Keira Knightley Brasil, sua maior fonte em português sobre a atriz britânica. Indicada duas vezes ao Oscar, Keira é muito conhecida por seus inúmeros papéis em filmes de época. Aqui você irá encontrar as últimas notícias, detalhes da carreira de Keira e um acervo com muitas fotos. Navegue pelo menu acima e divirta-se com todo nosso conteúdo!

Keira Knightley é a capa da edição de julho da britânica Harper’s Bazaar! Confira a tradução feita pelo KKBR da matéria completa:

De Volta Às Origens

Ficar fora da mídia durante a pandemia ensinou Keira Knightley a reavaliar suas prioridades. Fotografada no esplendor da Reserva Selvagem de Suffolk, ela conversa com Lydia Slater sobre conhecer sua comunidade local, revisar literatura feminista e pular no trampolim de suas filhas vestida de Chanel da cabeça aos pés

Ir passear com Keira Knightley é uma experiência de abrir os olhos, um pouco como passear com a Rainha. Quando nos encontramos, ainda não era possível se reunir em casa, por isso, o nosso entrevista foi conduzida andando pelos cantos do Norte de Londres, no bairro onde ambas vivemos. Enquanto caminhamos, as pessoas a cuprimentam, e quando paramos para tomar um café, a funcionária lhe entrega o seu favorito, cerveja sem álcool. Ser mundialmente famoso não parece assim tão ruim. Knightley parece surpresa. ‘Ah, eu conheço todos eles’, ela explica, acenando para outra pessoa. “Esse é o Chris, meu vizinho adorável…” Eu moro nesta área há muito mais tempo do que ela, mas ainda tenho que especificar como eu gosto do meu cappuccino, penso. Deve ser porque ela é excepcionalmente simpática, e apesar de estar de jeans pretos, botas, gorro e máscara, continua dramaticamente bonita.

Esta entrevista, como tantas outras no último ano, foi adiada várias vezes. Inicialmente, tínhamos planejado de nos encontrarmos em 2020 para discutir seu novo filme Silent Night, que está programado para ser lançado neste Natal. Agora é seu papel como o rosto da Coco Mademoiselle da Chanel que está no topo da agenda, com o lançamento da Coleção Eté, de edição limitada, e da campanha da mesma, mostrando-a em uma aparência etérea em gaze branca e pérolas.

Knightley está estrelando campanhas desde 2007, quando tinha vinte e poucos anos, e estrelando na franquia de sucesso, Piratas do Caribe. Ela foi levada de Los Angeles para Paris para conhecer Karl Lagerfeld, e lembra-se principalmente de como se sentiu fora do fuso horário. “Eu provavelmente era muito nova para ter medo dele e não sabia o suficiente sobre moda”, ela lembra, rindo. “Eu estava hospedada no Ritz, e quando abri o guarda-roupa, encontrei todas essas roupas da Chanel lá. Eu só pensei que o quarto não tinha sido arrumado, então liguei para a recepção para dizer que alguém havia deixado suas roupas para trás, e eles disseram que elas eram para a minha estadia. Mas para não ficar com elas”, ela suspira. “Foi meu momento de Cinderela”.

(mais…)

Keira Knightley está em negociações para estrelar um novo drama de ficção científica intitulado Conception, da mesma diretora de Silent Night, Camille Griffin, que também está escrevendo o longa.

A história se passa em um futuro próximo, quando o governo britânico assume o controle autoritário sobre a paternidade. A personagem de Keira, uma vigorosa Oficial de Licenças, acredita firmemente no polêmico sistema até que um evento inesperado coloca em risco seu próprio status parental na mesma administração em que ela atua.

O último trabalho de Keira e Camille juntas, Silent Night, que conta a história de uma família durante as festas de fim de ano, é esperado para dezembro de 2021.

De acordo com uma matéria exclusiva do britânico Daily Mail, Keira Knightley teria informado as autoridades inglesas através do Companies House que deseja trocar seu sobrenome Knightley pelo do marido, James Righton.

A atriz e o músico são casados desde 2013 e possuem duas filhas juntos. Em uma entrevista há seis anos, Keira confessou que considerava a mudança, mas tinha medo. Na ocasião, ela disse: “fui fazer o negócio do passaporte e fiquei pensando: ‘devo fazer isso? Iria ajudar. Mas você tem que ver aquilo escrito, e descobri que não conseguia.”

Keira Knightley falou sobre seus encontros angustiantes com os paparazzi britânicos quando ela estava estabelecendo sua carreira. A atriz relembrou uma ocasião em que fotógrafos tentaram forçá-la a sair da estrada enquanto ela dirigia para criar uma história de acidente na mídia.

Em conversa com a cineasta Lulu Wang e a editora Diane Solway no novo podcast de cultura da Chanel, Chanel Connects, Keira disse que lidar com os paparazzi tem sido seu maior desafio profissionalmente. Ela revelou que não apenas havia sido assediada verbalmente por fotógrafos de tablóides, mas também que eles tentaram causar um acidente de carro.

“É brutal para as mulheres jovens nesta indústria”, disse ela. “Ser seguida por volta de 24 horas por dia, 7 dias por semana, por matilhas de até 30 homens com suas lentes, pelas minhas janelas, e ser chamada de puta toda vez que saía de casa para provocar uma reação, porque as fotos valiam mais se eu estivesse chorando. Ou sendo forçadas a sair da estrada, porque de repente descobriram que havia muito dinheiro para ganhar com acidentes de carro. Então, você teria caras com câmeras tentando forçar seu carro para fora da estrada.”

Knightley estava no final da adolescência / início dos vinte anos na época e tinha recentemente alcançado o sucesso em Driblando o Destino, Orgulho e Preconceito e Desejo e Reparação. Olhando para trás, ela diz que está “incrivelmente orgulhosa” por ter sobrevivido a uma provação tão traumática.

“Foi brutal”, disse ela. “E tentando descobrir uma maneira quando, como todos nós estamos experimentando agora, o mundo enlouquece ao seu redor, como você mantém sua sanidade? Como você mantém sua visão de quem você é, do que você quer e o que você acredita que está certo e errado, no estreito e no estreito? É incrivelmente difícil. “

Os paparazzi britânicos são conhecidos por seu tratamento intimidante para com as jovens atrizes. Em 2008, Sienna Miller usou a legislação de direitos humanos para processar os paparazzi por “uma campanha de assédio”, que ela venceu.

Fonte: Harper’s Bazaar

Keira Knightley concedeu uma entrevista recentemente ao jornal australiano Daily Telegraph. Confira abaixo a tradução da entrevista:

DT: Você é uma estrela de cinema internacionalmente conhecida há quase duas décadas. Tem sido difícil saber quais são as percepções de outras pessoas sobre você em uma escala tão grande?

O que é bom de estar na casa dos 30 anos é que posso dizer com segurança que não me importo. É brilhante. Quando você tem filhos, fica tão cansado e tão focado nisso… um monte de outras coisas periféricas simplesmente desaparecem, e isso é muito bom. Você simplesmente não tem tempo ou energia.

Acho que provavelmente me incomodou muito quando eu estava no final da adolescência, no início dos 20 anos. [É quando] é tudo sobre angústia; aquele pânico de outras pessoas não gostarem de você.

DT: Como foi para você em 2003, quando Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola Negra se tornou um grande sucesso de bilheteria e você se tornou um nome conhecido?

Eu senti muito, muito intensamente. Não foi legal e foi muito difícil. E acho que se eu estivesse naquele nível de fama agora, ficaria igualmente estressada com a coisa toda. E seria muito difícil.

Principalmente com crianças. Eu não gostaria de fazer isso. Mas eu acho que é muito mais legal ser mais velho. Espero estar muito mais confortável na minha própria pele.

DT: Falando de suas duas filhas, Edie tem cinco anos e Delilah, um. Eles te tornaram menos egoísta?

Sim, e acho que esse processo é interessante. É uma jornada muito difícil para se tornar menos egoísta. Não é uma lição fácil, é?

DT: Você levou Edie com você para uma marcha anti-Brexit no ano passado. Pressionar por mudanças políticas é algo importante para você?

Sim, obviamente. Você pensa no mundo para o qual está trazendo as crianças, olha para os problemas e talvez os veja com clareza. Você pensa: “Meu Deus, como vou proteger meus filhos disso?”

Mas também quero para mim. Sempre me interessei muito pelas questões femininas, desde os 11 ou 12 anos e entendendo que as meninas não foram feitas para jogar futebol [apesar de eu] gostar muito de futebol. Então eu acho que sempre esteve lá em mim.

DT: Edie gostou da marcha?

Foi uma marcha adorável. Ela realmente gostou. Isso é bom. Eu realmente gostaria de levá-la em outra. Ela [tinha apenas] quatro anos e era um pouco pequena. Mas ela está crescendo o tempo todo. Ela estará lá em uma delas quando estiver um pouco mais alta.

DT: Por falar em protestos, seu novo filme ‘Misbehaviour’ lida com os da vida real que aconteceram por volta do concurso de beleza do Miss Mundo em 1970. Como você se relacionou com essas mulheres?

Bem, eu li o roteiro e naturalmente concordei totalmente com as feministas da segunda onda [protestando] e ainda assim ganhei a maior parte do meu dinheiro como modelo [para a Chanel]. Eu vou a tapetes vermelhos, onde você recebe notas de 10 e você tem câmeras para cima e para baixo em seu corpo. Acho que essa é a complexidade de ser mulher na era moderna.

Ainda assim, a carreira número um no mundo – a única – em que uma mulher pode ganhar mais do que um homem é a de modelo. Ou prostituição. E isso diz tudo o que precisa ser dito às moças.

A sua aparência é mais importante do que o que você tem a dizer ou o que pensa. E esse é o mundo em que ainda vivemos hoje.

DT: Então, fazer esse filme não te fez reconsiderar sua profissão?

Estou super feliz com o dinheiro que ganhei, o estilo de vida que tenho por causa disso e as experiências que tive. Isso me deu oportunidades incríveis. É por isso que acho esse filme realmente interessante. Mostra esses dois lados.

Fala que isso é horrível pra c*ralho, sou totalmente contra isso e essa objetivação é horrível, e ainda assim me dará oportunidade. De repente, me torno visível em um mundo onde sou invisível, e isso tem mérito e tem valor, e eu poderia ter uma vida melhor mais tarde. É com o que ainda estamos lutando.

DT: Quando se trata de mudanças climáticas, você mudou algumas coisas em sua vida cotidiana?

Sim. Fazemos essa dieta a base de plantas. Nós reciclamos. Temos um carro elétrico. Mas deve haver uma mudança governamental massiva. Fazemos as pequenas coisas. Isso é fácil.

Mas [até este ano] ainda estávamos viajando de avião, éramos hipócritas – eu voava por conta do trabalho o tempo todo. Mas estávamos conscientemente tentando não voar quando saíamos de férias e coisas assim. Estávamos tentando mudar isso. Não estou tentando dizer que sou uma ativista climática, mas sou um cidadão que está ouvindo isso e pensando: “P*ta merda! Precisamos fazer algo. ”

No dia 22 de setembro, Keira Knightley participou do programa Jimmy Fallon Live para falar sobre seu mais novo filme, Misbehaviour.

Ela aproveitou para compartilhar um pouco de sua adolescência e também as últimas traquinagens de suas filhas durante a quarentena.

Confira o vídeo completo e legendado:

Segundo a Variety, Keira Knightley deixou a série da Apple TV+, The Essex Serpent, por motivos familiares.

Fontes disseram à Variety que a produção da série deveria começar em seis semanas e agora está em hiato. O representante de Keira disse ao Daily Mail, o primeiro a relatar a notícia, que ela teve de deixar o projeto por “razões familiares”.

“A segunda onda de coronavírus está agora no Reino Unido e o representante da atriz disse à agência que “não havia um cenário confortável que pudesse ser estabelecido para Keira contendo os cuidados infantis necessários durante os quatro meses e meio de produção.”

Keira e seu marido, o músico James Righton, têm duas filhas, Edie (5 anos) e Delilah (1 ano).

Baseado em um romance de 2016 da autora Sarah Perry, The Essex Serpent conta a história de uma mulher recém-viúva que, tendo escapado de um casamento abusivo, se muda da Londres vitoriana para uma pequena vila no condado de Essex. Ela fica intrigada com uma superstição local de que uma criatura mítica conhecida como a serpente de Essex voltou para a área.

Keira Knightley participou ontem do programa Good Morning America e falou sobre o 15º aniversário de seu icônico filme, Orgulho e Preconceito, além de divulgar seu mais novo filme, Misbehaviour, que estreia na sexta-feira, 25 de setembro.

O filme conta a história real de um grupo de ativistas feministas que invade a cerimônia do Miss Mundo nos anos 1970.

Quando perguntada sobre sua experiência no set de Orgulho e Preconceito, Keira disse: “Foi uma experiência especial. […] Fiz muitos amigos e, claro, foi algo enorme na minha carreira. É um filme muito amado. Me sinto muito sortuda de ter feito parte dele.”

Falando sobre o seu trabalho mais recente, Misbehaviour, ela disse: “você pensa ‘vou ficar 100% do lado das feministas invadindo esse lugar’, mas o que realmente amei é que mostra o lado das participantes do concurso, as oportunidades que eram dadas a essas mulheres. Eu adorei a conversa, acho que é muito importante ouvir diferentes pontos de vista, especialmente hoje. E é o que esse filme faz.”

Keira também comentou sobre como estar sendo lidar com a maternidade no meio da quarentena. Ela tem uma menina de cinco anos e uma bebê de um ano. “Está sendo tumultuado, mas tem sido bom, sabe?”, disse ela. “Não tenho o que reclamar. Tem sido intenso. Temos ensino à distância com a minha filha de cinco anos, o que é fascinante. Estamos todos bem. Esse é o principal.”

Assista à entrevista legendada abaixo:

Keira Knightley irá estrelar e ser produtora executiva da nova série The Essex Serpent, dirigida pelo aclamado cineasta Clio Barnard.

A série é uma adaptação do romance homônimo best-seller da autora Sarah Perry, que inclusive ganhou o prêmio de livro do ano no British Book Awards 2016.

A história é sobre uma mulher recém-viúva chamada Cora, interpretada por Keira, que, após ser libertada de um casamento abusivo, se muda da Londres vitoriana para Aldwinter, uma pequena vila, no condado de Essex. Ela ficará intrigada com uma superstição local de que uma criatura mítica conhecida como Essex Serpent (‘serpente de Essex’, em tradução livre) retornou ao vilarejo.

Anna Symon será a escritora principal. Além de Keira, Jamie Laurenson, Hakan Kousetta, Patrick Walters, Iain Canning e Emile Sherman serão os produtores executivos do show ao lado de Barnard e Symon. Andrea Cornwell atuará como produtora.

O drama da Apple é o segundo projeto de streaming o qual Keira assinou recentemente. Ela também estrelará e será produtora executiva de uma série limitada para o Hulu baseada no romance de Suzanne Rindell, The Other Typist.

The Essex Serpent será produzido para a Apple TV+ pela See-Saw Films, e é encomendado para a Apple fora do Reino Unido pelos chefes de Vídeo Mundial da Apple, Zack Van Amburg e Jamie Erlicht, e pelo diretor de criação da Europe Worldwide Video, Jay Caçar.

 

Fonte: Variety e Hollywood Reporter

Ela está presa em casa assim como o resto do país em meio à quarentena de coronavírus do Reino Unido.

Mas Keira saiu para tomar um ar fresco na sexta-feira (10 de maio), quando ela e o marido James desfrutaram de uma celebração em distanciamento social para comemorar o 75º aniversário do dia da vitória em Londres.

A atriz parecia animada enquanto conversava com os vizinhos na rua.

Bem no estilo primavera, a estrela usava um vestido midi de inspiração boho, com decote em V e estampas florais por toda parte.

A atriz também optou pelo conforto no departamento de calçados, enquanto complementava sua aparência chique e sem esforço com sandálias marrons.

Confira fotos na galeria:

 

Fonte: Daily Mail

layout desenvolvido por lannie d. - Keira Knightley Brasil